sexta-feira, 24 de abril de 2015

Entrevista com a professora de cartonagem projetada Alice Yozhiyoka


A artesã Alice Yozhiyoka, professora de cartonagem projetada no Canal do Artesanato, tem muita história para contar e mais ainda para ensinar. Com várias aulas produzidas, a professora contou para nós como começou no artesanato, uniu seus conhecimentos do trabalho à cartonagem e outras curiosidades da sua vida. Acompanhe:

Conte-nos um pouco de suas origens: onde nasceu, o que gostava de fazer quando criança.



Nasci em São Paulo, mudei e mor​ei e​m Ribeirão Pires até os meus 25 anos. 

Minha infância foi muito divertida,  conseguia brincar na rua.  Imagine uma amarelinha em cada calçada,  empinar pipa,  jogar bafo, brincar de polícia e ladrão entre quatro casas,  um brejo com rãs que os meninos pegavam e deixavam em baldes, andar de bicicleta,  jogar voltei no meio da rua.



Minha tristeza era não poder comer bolo e bolachas por conta de alergia. 

Minha mãe me ensinou a bordar,  costurar,  fazer crochê e tricô quando eu ainda era criança. Eu aprendi japonês primeiro e adorava passar o dia na minha avó lendo os mangás (quadrinhos japoneses). Gostava de consertar coisas, como o meu pai e achava mais divertido do que brincar de boneca.

E o primeiro contato com a cartonagem, como foi?

Não faz muito tempo que conheci a cartonagem. No início, achei lindo e difícil.  Fazia apenas capas de agenda. Pintava araras e tucanos e formava as capas com Chita. Era sucesso na loja.

Como você começou a trabalhar com artesanato?

​Sempre gostei de artesanato.​ Trabalhava na indústria, mas fazia aulas aos sábados. Quando minha filha nasceu, parei de trabalhar e, depois de alguns anos, comecei a fazer cartões de papel vegetal. Fiz várias aulas de pintura em tecido. Forneço peças pintadas há dez anos para a mesma loja e minha especialidade são as araras e tucanos.

O estilo da sua cartonagem é projetada. No que consiste a cartonagem projetada e quais são seus benefícios?

A cartonagem projetada veio do desenho técnico mecânico. Eu era desenhista mecânico de produtos numa indústria automotiva. Juntei o conhecimento com a cartonagem pela semelhança dos projetos e deu certo. Sentia que minhas alunas queriam aprender a desenhar e montar as peças.

Ela auxilia quem gosta de projetos próprios, mas não tem o conhecimento de técnica para colocar o projeto imaginado no papel e depois cortar e dar forma. Como digo sempre, crio a peça para várias finalidades: nunca serve apenas para uma utilidade. Construo a caixa para guardar ou transportar o que for preciso.

O jeito de aprender artesanato melhorou?

​Hoje, com a ajuda da tecnologia, temos como aprender muitas técnicas. Gosto muito de mixar técnicas diferentes e fazer algo inovador. Por isso juntei com a marchetaria e acho que enriqueceu as duas aulas.

Como o Canal pode ajudar mais as pessoas a praticarem arte com as mãos?

O canal vem ao encontro das pessoas que não tem possibilidade de frequentar aulas presenciais por vários motivos. As aulas ficam à disposição das alunas 24 horas por dia. Elas escolhem quando podem assistir e praticar. A ideia é fantástica, e o preço pago pela comodidade é irrisório.

Não há como negar que o time de professores e as técnicas são muito bons. Temos que convidar todos para aproveitar essa grande ideia.


Aproveite e confira o vídeo da professora apresentando o Canal:


Nenhum comentário:

Postar um comentário