segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Entrevista exclusiva com Valéria Souza

Valéria Souza é a criadora do Fast Patch, uma das técnicas ensinadas no Canal do Artesanato que podem ser executadas com muita rapidez, sem a necessidade de ter cuidado com sofisticação da peça. A graça é justamente fazer algo divertido e prático, sem ficar fazendo medidas, como a artesã explica.

Valéria Souza criou o Fast Patch há apenas três anos, mas pratica artesanato desde os sete!

O Fast Patch tem realmente tudo a ver com a sua criadora, que apesar de fazer artesanato há muitos anos, apenas começou a trabalhar nessa área há três anos. Formada em História, Valéria mudou várias vezes de profissão até encontrar a paixão no artesanato. As curiosidades sobre a história dela são contadas abaixo, em nossa entrevista. Confira:

- Depois que se formou em História, você deu aulas durante cinco anos. Por que abandonou as salas de aula?

Conheci o Miguel, meu esposo, logo que me formei. Ele tinha uma pequena empresa, uma copiadora, como se costumava dizer na época. Nas minhas folgas, eu o ajudava e o envolvimento com a empresa foi aumentando. Fui diminuindo o número de aulas, até me dedicar exclusivamente à empresa.

- E, depois disso, fez o curso de Direito durante dez meses, então parou. Conte para nós qual foi o motivo da decisão.

A vida acadêmica é fascinante, o Direito sempre me fascinou, por isso decidi fazer o curso. Quando eu estava no último semestre e precisava fazer estágio, tinha dois bebês (o Caio, com três anos, e o João, que acabara de nascer), tocava a empresa com o Miguel e estávamos implantando a Comunicação Visual. O meu marido precisou fazer uma cirurgia de coluna. Era impossível conciliar tanta coisa. Optei naquele momento por cuidar da minha família e da empresa. Com tantos afazeres, o tempo passou e nunca mais voltei ao curso de Direito.

- Logo em seguida, você já montou uma empresa de Comunicação Visual com o seu marido. Como surgiu a ideia?

Na verdade, a Comunicação Visual foi uma evolução quase natural da copiadora. De olho no mercado, entendemos que ele evoluiria para isso, então investimos no segmento. Deu muito certo.

- De Comunicação Visual, você não cansou rápido e trabalha com isso até hoje, tem 22 anos de experiência. Então, como começou a trabalhar com artesanato?

Sim, desde que conheci o Miguel são 29 anos entre copiadora e Comunicação Visual, ele tem mais de 30 anos de atividade. A Comunicação Visual é dinâmica e desafiadora, não dá pra cansar. Na Comunicação Visual, pude explorar meu potencial criativo, precisei ser autodidata em designer gráfico, porque quase não havia formação acadêmica na época.

Eu nasci arteira, fazer arte sempre foi meu hobby, desde os sete anos faço artesanato, aprendi ainda menina a fazer tricô, crochê, bordado, etc. Tudo sempre me interessou, mas nada “tanto assim”, haha. Com tantos quesitos a meu favor, foi fácil. Criatividade, meios disponíveis, materiais disponíveis, paixão por artesanato e um marido que sempre apoiou. O que era hobby se transformou em negócio.

- Qual foi o fator comum que fez você mudar de área algumas vezes em sua trajetória profissional?

Adoro um desafio, sou curiosa e passional no trabalho. Deixo-me levar pela paixão. Se fosse possível conciliar tudo o que já fiz e faço, estaria fazendo tudo até hoje.

- Para as pessoas que não conhecem o Fast Patch, como você descreveria a técnica?

Fast Patch é uma técnica de customização artesanal, com tecido. Uma técnica rápida, fácil e que qualquer pessoa pode fazer. Por isso ganhou, em tão pouco tempo, tantos adeptos de todas as faixas etárias.

- Quais outras técnicas de artesanato você pratica, além do Fast Patch?

Fast Patch tattoo para aplicação de strass (customização com strass, usando base transferível) e personalização com adesivagem de vinil.

- São três anos trabalhando com a técnica de Fast Patch, mas você já tem muita coisa a dizer sobre a área. O que é, em sua opinião, importante para trabalhar com artesanato?

É preciso ter paixão, ser apaixonado por artesanato é mais importante do que dominar qualquer técnica. A paixão te impulsiona, diminui os obstáculos, te mantém motivada. Não tem outro caminho, todas as outras qualificações são inteiramente dependentes dela.

- Qual é a peça que você ensinou no Canal do Artesanato da qual mais gosta?

Tenho aulas de adesivagem no Canal, faço isso há 22 anos, é uma paixão antiga. Mas nem por isso sou menos apaixonada pelas outras técnicas.

- Qual técnica ensinada no Canal do Artesanato você acha que pode combinar bem com o Fast Patch?

Existem alguns recursos de outras técnicas que podem ser unidos ao Fast Patch. Por exemplo, você pode usar máquinas de recorte de scrapbook para cortar tecidos e cortadores/perfuradores de papel para cortar Glitter Fast Patch.  Há possibilidades também de compor Fast Patch com pintura e desenho.

- Deixe uma mensagem para nossos leitores do blog do Canal do Artesanato.

Todos podem fazer artesanato, há  com certeza uma técnica com a qual você vai se identificar e se apaixonar.  Não há ex-artesão: quem é não quer deixar de ser. Junte-se a nós.

Ainda não é assinante? Aproveite e cadastre-se. O primeiro mês é grátis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário